Maio Laranja: denunciar pode salvar uma criança ou um adolescente

Todos os dias, crianças e adolescentes são vítimas de abuso sexual no Brasil. Essa é uma das violências mais devastadoras da infância. De acordo com dados do Unicef/Brasil, entre 2017 e 2020, foram registrados 179.278 casos de violência sexual contra vítimas de 0 a 19 anos, sendo que 81% tinham até 14 anos de idade.

Ainda de acordo com os dados do Unicef/Brasil, a violência sexual contra crianças e adolescentes acontece predominantemente dentro das residências e é praticada por pessoa conhecida da família. Além disso, a maior parte das vítimas é do sexo feminino, sendo que, nas faixas etárias de 10 a 14 anos e de 15 a 19 anos, as meninas correspondem a 91% dos registros.

Em Mato Grosso do Sul, esses números são também alarmantes: em 2020, foram registradas 1.583 ocorrências de violência sexual, o que representa 186 casos por 100 mil habitantes. Todavia, quando analisada a série histórica de registros, constata-se a redução das taxas ao longo dos anos, uma vez que, no ano de 2018, o patamar atingido foi de 220,9.

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul atua diariamente para reduzir os casos de violência sexual contra crianças e adolescentes. Para a Promotora de Justiça Fabrícia Barbosa Lima, do Núcleo da Infância e da Juventude, a atuação uníssona, proativa e protecionista do MPMS merece especial destaque neste mês de maio, representando de forma concreta o compromisso da instituição no enfrentamento do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes.

Disque 100

Denúncias podem ser realizadas por meio do canal Disque 100, de qualquer telefone no território nacional, ou diretamente ao Ministério Público Estadual, ao Conselho Tutelar ou à Delegacia de Polícia no seu município. A denúncia é anônima e é garantido o sigilo da identidade da pessoa denunciante.

Para mais informações acerca do relatório da UNICEF/Brasil, clique aqui:

https://www.unicef.org/brazil/media/16421/file/panorama-violencia-letal-sexual-contra-criancas-adolescentes-no-brasil.pdf

Texto: Ana Carolina Vasques/jornalista – Assecom MPMS

Imagem: Marketing Assecom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.